Sac Comigo: 0800 642 1500

Notícias

Armazenamento de Respeito

Data: 28/09/2021

Com capacidade de armazenagem superior a 34 milhões de sacas, em 17 unidades armazenadoras estrategicamente localizadas por toda região do Sudoeste Goiano, a COMIGO mantém uma das maiores redes de armazenamento de grãos do país. Prova disso, são as certificações emitidas pela Conab - Companhia Nacional de Abastecimento vinculada ao MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A certificação do Sistema Nacional de Certificação de Unidades Armazenadoras é instituída pela Instrução Normativa no 29/2011 do MAPA, e é obrigatória para que as unidades armazenadoras atuem em suas atividades, e levam em consideração todos os diversos fatores envolvidos na atividade, desde a estrutura até a capacitação dos funcionários, incluindo limpeza do local, controle de pragas, localização e sistemas de amostragem e controle de qualidade.

Os certificados são renovados a cada 5 anos e a COMIGO mantém atualizados os certificados de todas as suas unidades, conforme afirma o gerente geral de armazéns da COMIGO, Paulo Carneiro Junqueira: “as avaliações para essa certificação são feitas por auditorias independentes, que analisam este regulamento técnico feito pelo MAPA e você não pode ser reprovado em nenhum ponto”.

A COMIGO tem cumprido todos os itens do regulamento técnico, pois na avaliação eles possuem o mesmo nível de importância. Parte destes itens envolve inclusive a estrutura e modernização das unidades, que é o que a Cooperativa tem feito, buscando automatizar e ampliar estruturas. “A maioria das nossas unidades já é automatizada, com operações remotas, e isso tem nos levado a prestar um bom serviço ao associado com um custo relativamente menor”, explica o gerente.

Certificações de valor no mercado

Além da certificação obrigatória dos armazéns, a COMIGO possui outras duas certificações relacionadas à unidade de processamento de soja, que são a ISSO 9001 (gestão de qualidade) e o GMP + B2 (segurança do alimento), que certificam os processos de produção de farelo de soja e óleo bruto degomado. Ambos os certificados são internacionais, com validade de 3 anos, sendo que a Cooperativa os mantêm atualizados.

“Essas certificações não são obrigatórias para o funcionamento dos armazéns, mas são necessárias e de grande importância no mercado, principalmente para as exportações”, explica Rubiane Karine Gonzaga Pires, analista de SGI do Sistema de Gestão de Qualidade da COMIGO. Atualmente, a Cooperativa realiza exportações para diversos países da União Europeia e Ásia.

Para manter a qualidade dos processos e produtos, a Cooperativa realiza ainda diversas auditorias internas, anualmente, não somente nas unidades armazenadoras mas em todos os setores, revisando todos os aspectos das certificações - ISO 9001, GMP+ B2 e do MAPA - para manter o funcionamento de suas unidades, além de utilizar o 5S, programa de gestão de qualidade empresarial desenvolvido no Japão, que visa aperfeiçoar aspectos como organização, limpeza e padronização.

Os próximos passos já estão à vista. A COMIGO está se preparando para receber a certificação GMP+ B4, de transportes, para tornar toda a cadeia de produção certificada. A previsão é que o certificado seja recebido no primeiro trimestre de 2022.

“Todo este trabalho realizado tem o objetivo de manter o bom funcionamento de todas as áreas de gestão e produção, garantindo melhor qualidade dos produtos e serviços oferecidos pela COMIGO, não só para os cooperados, mas para todo o mercado”, afirma Rubiane.

“Sempre foram feitos investimentos para melhorar a prestação de serviço e fazê-lo da melhor qualidade, não somente para as certificações, mas principalmente, para atender bem ao cooperado, viabilizar o recebimento dos grãos e o modelo de negócio da COMIGO”, enfatiza Paulo.



Voltar